As três irmãs - Milho, Feijão e Abóbora

O termo “três irmãs” refere-se à plantação de milho, feijão, e abóbora intercalados no mesmo local.

 

Estas três irmãs dão uma lição de cooperação ambiental e produtividade sendo uma técnica que recua ao Império Maia na América do Sul mas que era comum por toda a América.

Plantadas juntas:

  • o milho fornece a haste para os feijões escalarem;
  • os feijões fornecem o nitrogênio ao solo para nutrir o milho;
  • a abóbora protege a terra, impedindo a competição da vegetação não desejada e protege as raízes rasas do milho. Também contribui para a preservação da humidade no solo.

 

As 3 irmãs: milho, feijão e abóbora

 

Esta técnica é ainda hoje praticado no nosso país pelos agricultores de subsistência mais antigos, conhecimento milenar sobretudo mantido nas regiões mais remotas. Somos dos poucos países europeus onde ainda se pode encontrar estar tradição viva. É uma técnica que aumenta a produtividade reduzindo o esforço, pelo que é uma excelente ideia a considerar na sua horta.

O milho, feijões e abóboras, complementam-se: no milho o hidrato de carbono, os feijões para a proteína e a abóboras para a vitamina A.

 

As três irmãs - Milho, Feijão e Abóbora

 

Ao mesmo tempo, pode usar qualquer trepador da mesma família, seja feijão ou ervilha; outro suporte como girassol e melão, meloa ou melancia para a cobertura do solo.

Na América do Norte, no sudoeste, os índios nativos ainda usavam uma quarta planta, chamada “Planta Abelha das Montanhas rochosas” (Cleome serrulata), que servia para atrais abelhas de modo a polinizar os feijões e abóboras.

 

Cleome serrulata

Save

Save

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.