História da cestaria, vergas e vime

A cestaria grossa usa espécies arbóreas autóctones tendo uma grande utilidade nas tarefas agrícolas como os cestos para as vindimas – feitos de resistente castanho.

A cestaria, cuja origem, no nosso país remonta pelo menos, à cultura castreja, continua a ser nos nossos dias, uma actividade indispensável na economia da vida rural e doméstica.

No norte de Portugal, a cestaria faz-se representar por uma infinidade de objectos, de formatos e feitios diversos, executados em junco, palha centeia, madeira e verga, segundo várias técnicas e destinados a diferentes usos, desde os trabalhos rurais ao transporte de compras.

 

Cestaria

 

 

Os cestos, destinados aos serviços rudes da lavoura, da pesca e do comércio, são feitos com madeira rachada em tiras, lavrada no banco e encastrada. Para serviços mais limpos são fabricados cestos com vergas – varas de vime e salgueiros, a que se tirou a casca – como o açafate, usado principalmente como cestinho de costura, e a cesta de cigana, muito popular entre as vendedeiras ambulantes, que nela transportam a fruta, o peixe, a hortaliça ou as quinquilharias.

 

Cestas para as vindimas

 

Cestaria
A cestaria é entendida como um conjunto de objectos, ou utensílios, obtidos através de objectos trançados. Por outro lado como um conjunto de objectos ou utensílios, obtidos através de fibras de origem vegetal.

A cestaria envolve também a fabricação de esteiras assim como objectos de revestimento ou cobertura.

Jarras em verga
Tipos de cestaria
Neste sentido a cestaria compreende a técnica de fabricação de cestos ou vasilhas de dois tipos fundamentais:
  • o tipo entrelaçado, que engloba os géneros cruzado,encanado, enrolado e torcido, conforme a maneira de dispor as fibras,
  • e o tipo espiral, com ou sem armação de sustentação.

 

verga
Origem

  • Origem Indígena – na fabricação de cestos para transportar objectos ou para armazenagens de alimentos, com a comercialização, os indígenas passaram a fabricar pulseiras, colares, armadilhas de pescas e muito mais.
  • Origem nómada – A cestaria teve origem nos povos nómadas na procura de soluções do armazenamento e transporte de alimentos e na antiguidade.
  • Origem Persa – Alguns escudos foram feitas de cestaria utilizada na batalhão Persa dos imortais.
  • Origem Ibérica – Outros dizem que a Vila de Gonçalo foi o berço da cestaria em Portugal e Espanha.

 

A cestaria pode ser feita com diversos materiais:

  • vime ou vara de salgueiro;
  • junco;
  • palha;
  • cana de bambú;
  • cana-da-índia;
  • castanheiro;
  • cerejeira;
  • papel; etc.

 

decoração em verga

 

Diversos usos da arte da cestaria:

Cestos para lenha, cestas, abanadores, canastros e objectos de decoração como jarras, terrinas, tabuleiros, pratos, mobiliário, etc.
mobiliario em verga
Já são poucos os artesãos que dominam esta técnica. É, sem dúvida, uma pena que se perda o saber desta arte tradicional.

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.