Conhece a lenda do Folar da Páscoa?

O Folar da Páscoa é, tradicionalmente, o Pão da Páscoa. Este é confeccionado à base de farinha de trigo, sal, ovos e água. O seu formato, conteúdo e confecção varia consoante as regiões do país, mas normalmente cada folar leva um ovo cozido, com casca, no seu topo.

 

 

Lenda do Folar da Páscoa

“Reza a lenda que numa aldeia algures em Portugal vivia uma jovem chamada Mariana. Esta tinha como único desejo na vida casar cedo.

Ora tanto rezou a Santa Catarina que esta atendeu às suas preces realizando a sua vontade – surgiram então dois pretendentes: um fidalgo rico e um lavrador pobre, ambos jovens e belos.

A jovem, indecisa, voltou a pedir ajuda a Santa Catarina para a ajudar a fazer a escolha certa. Enquanto Mariana estava concentrada na sua oração, Amaro (o lavrador pobre) bate-lhe à porta para saber qual a resposta de Mariana. Como esta ainda não tinha uma resposta para dar, o lavrador marcou-lhe como data limite o Domingo de Ramos.

Nesse mesmo dia apareceu também o fidalgo à espera de uma decisão. Mas Mariana não sabia o que fazer.

Chegado o Domingo de Ramos, uma vizinha, muito aflita, foi avisar Mariana que o fidalgo e o lavrador se tinham encontrado a caminho da sua casa. E que estes estariam a travar uma luta de morte.

Mariana correu até ao lugar onde os dois se defrontavam e foi então que Mariana soltou um grito dizendo o nome de Amaro, o lavrador pobre.

Na véspera do Domingo de Páscoa Mariana andava atormentada. Corriam ditos de que o fidalgo apareceria no dia do seu casamento para matar Amaro.

Mariana aflita, mais uma vez, resolveu recorrer a Santa Catarina. Diz-se que a Santa, ao ouvir as suas preces, sorriu-lhe.

No dia seguinte, Mariana foi colocar flores no altar da Santa mas ao voltar para casa deparou-se com um grande bolo, com ovos inteiros e rodeado de flores, em cima da mesa. Mariana reparou que as flores, que embelezavam o folar, eram as mesmas que esta tinha colocado no altar da Santa. Sem pensar, correu para a casa de Amaro, mas encontrou-o a meio do caminho e este contou-lhe que também tinha recebido um bolo semelhante.

 

História da origem do folar da Páscoa

 

Os dois ficaram então a pensar que talvez tivesse sido ideia do fidalgo. Dirigiram-se a casa deste para agradecer mas, tal foi o espanto deles quando reparam que o fidalgo também tinha recebido o mesmo bolo.

Mariana ficou, então, convencida de que tudo tinha sido obra de Santa Catarina.”

 

Antigamente o Folar era chamado de Folore. Com o passar do tempo este tornou-se numa tradição que celebra a Amizade e a Reconciliação.

Durante as festividades cristãs da Páscoa, é tradição o afilhado oferecer, no Domingo de Ramos, um ramo de violetas à sua madrinha de batismo. Por sua vez esta, no Domingo de Páscoa, oferece ao seu afilhado um folar.

 

Lenda do folar da Páscoa

 

 

Ingredientes:

  • 800 g de farinha
  • 250 g de açúcar
  • 100 g de margarina
  • 2 dl de leite morno
  • 3 ovos
  • 35 g de fermento de padeiro
  • sal
  • canela
  • erva-doce q.b.
  • 3 ou 4 ovos cozidos para enfeitar o folar

 

Receita de folar da Páscoa

 

Comece por dissolver o fermento num pouco de leite morno. Junte-lhe alguma farinha e faça uma bola, bem húmida, e deixe a levedar durante 20 minutos.
Amasse a restante farinha com o açúcar, o leite e os ovos e junte-lhe a bola fermentada.

Bata tudo muito bem.

A seguir acrescente a manteiga, o sal e a erva-doce.
Continue a bater até que a massa se solte do recipiente.

Deixe levedar numa tigela tapada com 1 pano grosso durante 3 horas.
A seguir faça uma bola ligeiramente abolachada e coloque os ovos previamente cozidos, frios e com casca.

Com um pouco de massa faça uns cordões para ajudar a prender os ovos.
Pincele toda a massa com gema de ovo e deixe levedar durante mais 10 minutos.

A seguir leve ao forno já quente a 200ºC, até o folar ficar bem cozido e corado.

 

Receita de folar da Páscoa

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.