Erros comuns no jardim comestível

 

Para quem se está a iniciar na horticultura, sobretudo no caso de jardins biológicos onde é necessário dominar mais elementos e plantar mais biodiversidade, alguns erros de principiante são comuns.

Claro que deve aprender a abraçar o erro, pois é a melhor forma de aprendizagem – e a natureza dará sempre os sinais necessários para melhorar a sua estratégia, técnicas e abordagens.

 

Aprenda a fazer um jardim comestível

 

De entre os erros mais comuns, aqui vão alguns:

1. Falta de Sol ou má localização do jardim

Compare o sol necessário para as suas culturas com a exposição solar da sua horta. Algumas plantas exigem mesmo muito sol, como o tomateiro e a beringela, por exemplo, e caso a sua horta não tenha boa exposição solar talvez tenha ou de mudar de sítio ou mudar a estratégia e optar por plantas e vegetais mais tolerantes a sombra.

 

2. Solo de má qualidade

Plantas que não se desenvolvem, ou dão sinais de alguma deficiência estão a indicar tanto falha de nutrientes como a qualidade do solo. Pode sempre testar o solo em laboratório para saber as suas características, ou realizar alguns testes caseiros que dão algumas indicações – em todo o caso convém sempre adoptar uma estratégia de compostagem que permita melhorar e renovar o seu solo anualmente re-introduzindo nutrientes que tenham sido retirados por anteriores culturas. Se o seu solo for inicialmente muito fraco convém investir em composto fresco, estrume curtido, húmus ou alguma outra fonte de solo de qualidade para iniciar.

 

3. Distância de uma fonte de água

No caso de agricultura urbana este problema não costuma aparecer, mas em situações mais rurais por vezes a água encontra-se distante da horta. Em primeiro lugar terá ou uma despesa (bombas, tubos, mangueiras) ou um enorme trabalho (transportar baldes de água pode ser um pesadelo, sobretudo no verão). Convém ter sempre uma fonte de água disponível próximo do jardim e pronta a regar as suas plantas! Não se esqueça: rega a mais é tão prejudicial quanto rega a menos, tem de encontrar o equilíbrio!

 

Como fazer um jardim comestível

 

4. Horta demasiado grande

Sobretudo no caso de um jardim biológico em que a consociação de espécies desempenha um papel defensivo, uma horta pode rapidamente tornar-se muito grande e muito trabalhosa. Tem de considerar as diferentes plantas, e sementeiras, os seus tempos de germinação e crescimento, e necessidades específicas de cada espécie. É claro que é tentador ter uma horta grande, com muitos vegetais e plantas, mas a sua horta deve crescer de acordo com a sua experiência e tempo disponível!

 

5. Não respeitar distâncias entre plantas

Quando planta talhões da mesma espécie deve ver sempre as distâncias recomendadas no pacote de sementes, no caso de consociação entre plantas deve estimar o desenvolvimento de cada uma e deixar a distância necessária para que cada planta cresça sem problemas. A falta de espaço ou espaçamento a mais entre plantas é um erro inicial muito comum – mas que também faz parte no desenvolvimento das suas competências enquanto agricultor pois tem de aprender como cada planta cresce (e não se esqueça que dentro de cada espécie existem diversas variedades).

 

Respeite os espaços entre as plantas

 

6. Produzir vegetais que não consome

Outro erro comum é plantar todo o tipo de vegetais e plantas, muitos que não integram a própria dieta do jovem agricultor. Claro que aprender a comer novos vegetais, cozinhar novos pratos e usar mais diversidade produzida por si é muito positivo e importante, no entanto deve planear a sua horta com base nos vegetais e plantas que integram a dieta da sua família – deixando um espaço para experiências e plantas “diferentes”, sim. Claro que também pode usar as plantas e vegetais que não consome como moeda de troca com outros agricultores – ou mesmo premiar a sua família e amigos com alimentos frescos, orgânicos e saudáveis!

 

7. Plantar tudo de uma vez

O jardim comestível é um trabalho constante, diário, semanal, mensal. A tentação é preparar tudo de uma só vez, plantar e semear tudo na mesma altura e depois regar e esperar pela colheita. No entanto esta estratégia vai levar a ter uma grande produção para colher na mesma altura – o que no caso do tomate pode ser interessante se fizer polpa e compota de tomate, mas por exemplo nas alfaces não tem muito interesse ter tudo a “sair” na mesma semana. Planeie bem a entrada de plantas e sementes na sua horta, estimando o tempo que a planta precisa para estar pronta. Plantar, por exemplo, uma ou duas alfaces por semana implica que terá uma ou duas alfaces prontas para colher passados dois meses (aproximadamente), a um ritmo constante que mantém a sua cozinha abastecida!

 

Erros comuns na horta

 

Estes são alguns dos erros iniciais que fazem parte do processo de começar a sua horta ou jardim comestível. Que nenhum o desmotive, quase toda a gente passa por eles e é com eles que aprenderá a ser um grande jardineiro/agricultor!

 

Leia também:

Camas Elevadas ou Camalhões agrícolas

Compostagem – Fertilizante natural para o seu jardim

Minhocário caseiro ou Vermicompostor 

Plantas úteis em Agricultura Biológica

Cobertura morta de solo ou Mulching

Save

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.