10 hábitos que prejudicam o sistema imunitário

Costuma ser sensível a constipações e resfriados? Apanha sempre a gripe que anda a correr o escritório ou a escola? É provável que tenha um sistema imunitário enfraquecido, talvez devido a hábitos prejudiciais a esta primeira linha de defesa do seu organismo. Quando forte, o sistema imunitário repele micróbios, germes, bactérias e demais organismos que podem causas infecções e doenças. Devemos procurar ter sempre um sistema imunitário forte, o qual prevenirá a generalidade dos potenciais ataques à nossa saúde e bem-estar.

Alguns hábitos são prejudiciais à força do nosso sistema imunitário, provocando maior sensibilidade a potenciais ataques externos. Além de uma boa alimentação, algum exercício, consumo de muita água e boas noites de sono – essencial para um organismo saudável o que inclui um sistema imunitário forte – devemos ter consciência que algumas rotinas podem prejudicar a capacidade de resistência a factores externos.

 

1- Consumo excessivo de álcool

 

Excesso de álcool

 

O consumo excessivo de álcool, ainda que ocasional, traz consequências ao enfraquecer o sistema imunitário. O excesso de álcool destrói anti-corpos, e ao desidratar o organismo retira água das células o que desgasta o organismo. Mesmo que seja uma saída à noite semanal, os seus efeitos podem arrastar-se durante dias, tornando-nos vulneráveis a infecções e doenças. Note no entanto que o consumo moderado de álcool – como um copo de vinho ao jantar – pode trazer alguns benefícios; falamos do consumo excessivo.

 

2- Consumo de tabaco (e exposição passiva a fumo)

A inalação de fumos, como a inalação de fumo activo e passivo de tabaco, fumos de lareira e outros, tem efeitos prejudiciais na nossa imunidade. Caso seja fumador, deve considerar seriamente terminar este hábito pois tem um enorme impacto na sua saúde em geral, incluindo o enfraquecimento das defesas contra patógenos. A exposição a fumo passivo pode trazer diversos problemas respiratórios pelo que deve também evitar estar exposto a fumo de terceiros.

 

3- Demasiada exposição solar

 

Excesso de exposição solar

 

Apesar da exposição solar ser benéfica para a nossa saúde e sistema imunitário (produção de Vitamina D), a exposição excessiva a raios UV é prejudicial à nossa pele e saúde.  Deve evitar demasiada exposição solar entre das 10H00 às 16H00, período de maior intensidade solar, e usar sempre protector solar (orgânicos e biológicos idealmente).

 

4- Emoções negativas

Emoções negativas como stress, raiva, medo, tristeza e preocupação deterioram o nosso sistema imunitário. Quando estamos sob stress os níveis de cortisol sobem, o que altera a capacidade de resposta do sistema imunitário, além de prejudicar o sistema digestivo e o sistema reprodutivo. O stress crónico torna-nos mais susceptíveis a constipações e gripes, assim como a doenças mais graves como diabetes, problemas coronários, entre outros.

 

5- Falta de higiene pessoal

 

Higiene pessoal

 

Um estilo de vida com pouca higiene expõe-nos mais a micróbios, germes e bactérias, tornando-nos mais susceptíveis de contrair infecções e doenças. Ao contrário, uma boa higiene pessoal é uma boa forma de prevenção pois mantém patogénos longe do organismo. No entanto note que higiene em excesso também pode ser prejudicial pois os sistema imunitário precisa de algum grau de exposição a germes e bactérias para desenvolver e manter a sua própria vitalidade.

Cuidados como lavar os dentes, tomar banho regularmente, lavar as mãos antes de refeições, cozinhar em casa com cuidados de higiene, lavar a roupa, etc, são importantes para de uma forma equilibrada não facilitar a exposição a organismos prejudiciais à nossa saúde.

 

6- Produtos de Higiene e Maquilhagem tóxicos

Sobretudo o público feminino mas também os Homens usam diariamente diversos produtos de higiene e maquilhagem “convencionais”, compostos por diversos químicos para os quais não há certezas quanto ao impacto na nossa saúde. Sabonete, shampoo, creme hidratante, pasta de dentes, desodorizante, produtos cosméticos, etc, estão carregados de produtos potencialmente tóxicos para os quais a utilização em conjunto não tem qualquer estudo. Por uma questão de prevenção deve evitar este tipo de produtos dando preferência a soluções naturais e biológicas – porque não aprender a fazer os seus próprios sabonetes e cremes, por exemplo? Ao mesmo tempo existe já uma grande e variada oferta de produtos naturais nestes segmentos.

 

7- Falta de horas de sono

 

Falta de horas de sono

 

Devido ao estilo de vida urbano moderno, muitas vezes descuramos a importância de uma boa noite de sono – o que impacta directamente o nosso sistema imunitário. Poucas horas de sono reduzem a eficácia das nossas defesas e estão associadas a um maior risco de desenvolvimento de problemas como doenças coronárias, enfartes, hipertensão, diabetes e obesidade. Um adulto deve dormir entre 7 a 8 horas (o público feminino precisa de mais 1 hora de sono diária que os Homens, em média) e as crianças entre 9 a 11 horas.

 

8- Falta de exercício físico

A falta de exercício físico está associada a um sistema imunitário mais deficiente. Algum exercício semanal, por mais pequeno que seja, aumenta a circulação sanguínea – o que promove os processos de libertação de toxinas do nosso organismo. Uma maior circulação sanguínea promove também a circulação de anti-corpos e células brancas pelo corpo, o que aumenta a capacidade de resposta imunitária.

 

9- Falta de consumo de água

 

Beber água

 

A hidratação diária é fundamental tanto para a saúde como para o sistema imunitário. Muitos problemas surgem com a falta de consumo de água, e o consumo adequado promove a libertação de toxinas. A desidratação está também associada a menos propensão para actividade física, o que como vimos no ponto anterior também deteriora o sistema imunitário.  Apesar do consumo recomendado ser variável conforma o clima, actividade física praticada e o organismo de cada um, em geral deve consumir 2 litros de água diariamente!

 

10- Utilização desadequada de fármacos

Os antibióticos são uma pedra basilar da medicina moderna convencional, e salvam sem dúvida muitas vidas. No entanto, a sua utilização indevida pode trazer efeitos secundários como problemas de estômago, diarreias ou mesmo reacções alérgicas. Pode também levar a uma maior resistência aos antibióticos por parte de micróbios e bactérias, o que no futuro pode trazer consequências desastrosas (as chamadas superbactérias, resistentes a todos os antibióticos e que geram a necessidade de maiores dosagens ou antibióticos mais potentes – com mais efeitos secundários). Nunca tome antibióticos sem prescrição médica, e quando prescritos tome exactamente como recomendado.

Saiba também que para infecções virais os antibióticos são completamente ineficazes pelo que a sua toma é totalmente desaconselhada.

 

Um estilo de vida com baixo nível de stress, uma alimentação equilibrada rica em vegetais, frutas e cereais integrais, algum exercício físico, boas noites de sono, muita água e alguma exposição solar é a receita para uma vida longa e saudável!

 

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.