Lenda das amendoeiras em flor

A lenda das amendoeiras é muito antiga e foi atribuída a muitas regiões.

Uns dizem que a sua origem mais remota fora na Pérsia, país tradicional de campos de amendoeiras e de gentilezas. No entanto, esta surge também na Turquia e no Próximo Oriente.

Já em Espanha foi atribuída às cidades de Córdova e Sevilha. Mais exactamente, aplicada aos amores de Al-Mu’tamid e de Romaiquia, tudo indica que foi referida a Silves. É esse o parecer da distinta investigadora espanhola Rubiera Mata, que procurou enquadra-la com maior rigor interpretativo.

 

Lenda das amendoeiras em flor

 

Lenda das amendoeiras em flor

Há muito tempo atrás, antes da independência de Portugal, quando o Al-Gharb (Algarve) pertencia aos mouros, havia ali um rei mouro que desposara uma rapariga do norte da Europa, à qual davam o nome de Gilda.

Era encantadora essa criatura, loira de olhos azuis, de porte altivo a quem todos chamavam a “Bela do Norte“, e por isso não admira que o rei, de tez cobreada, tão bravo e audaz na guerra, a quisesse para rainha.

Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade, conquistou-lhe progressivamente a confiança e um dia confessou-lhe o seu amor e pediu-lhe para ser sua mulher.

Foram felizes durante algum tempo, mas um dia a Bela do Norte caiu doente sem razão aparente.

Nem os mais ricos presentes do esposo faziam nascer um sorriso naqueles lábios agora descorados.

Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo desesperado rei e revelou-lhe que Gilda sofria de nostalgia da neve do seu país distante.

A solução estava ao alcance do rei mouro, pois bastaria mandar plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras que quando florissem, no início da Primavera, as suas brancas flores dariam à princesa a ilusão da neve e ela ficaria curada da sua saudade.

O bom rei assim o fez.

Na Primavera seguinte, o rei levou Gilda à janela do terraço do castelo e disse-lhe:

– Gilda, vinde comigo contemplar um espectáculo encantador!

 

Lenda das amendoeiras em flor

 

Logo que chegou ao alto da torre, Gilda sentiu que as suas forças regressavam ao ver aquela visão indiscritível das flores brancas que se estendiam sob o seu olhar. A rainha bateu palmas e soltou gritos de alegria ao ver todas as terras cobertas por um manto branco, que julgou ser neve.

– Vede – disse-lhe o rei sorrindo – como Alá é amável convosco. Os vossos desejos estão cumpridos!

A rainha ficou tão contente que em pouco tempo estava completamente curada. A tristeza que a matava lentamente desapareceu, e Gilda sentia-se alegre e satisfeita junto do rei que a adorava.

O rei mouro e a sua esposa viveram longos anos de um intenso amor esperando ansiosos, ano após ano, a Primavera que trazia o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor que lhe lembravam os campos cobertos de neve, como na sua terra.

 

Lenda das amendoeiras em flor

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.