História dos amola-tesouras

Quem se lembra do som inconfundível a anunciar a chegada do amolador?

O amolador é um comerciante ambulante que se acompanha de uma roda feita de pedra de esmoril e se desloca através de bicicleta ou motocicleta, para oferecer os seus serviços de amolar facas, tesouras e outros instrumentos de corte. Antigamente, o amolador também fazia a reparação de guarda-chuvas.

Há alguns anos que se diz estarem em extinção. Mas por vezes ainda se avista algum através do som inconfundível e estridente da melodia que anuncia a sua proximidade.

Esta melodia é feita através de uma flauta de pã de canos ou plástico, a qual ao soprar-se faz soar as suas tonalidades consecutivas, de grave a aguda e vice-versa.

Os poucos que restam fazem-nos, automaticamente, lembrar das nossas infâncias. Naquela altura as crianças ficavam fascinadas com as pequenas faíscas que se soltavam da pedra de esmoril quando em contacto com o metal.

 

História dos amola-tesouras

 

Nas terriolas em que ainda existem amoladores, ainda há quem venha à porta ou à janela de casa para os ver a passar. Chegando por vezes a pedirem os seus serviços para afiar uma faca ou uma tesoura.

Infelizmente, será uma profissão que se vai extinguir por completo dada a facilidade nos dias de hoje de se comprar facas e tesouras a preços totalmente irrisórios.

Para os que não gostam de objectos descartáveis, a vida será mais difícil sem a existência dos amoladores. As facas e as tesouras ficarão por afiar, serão deitadas fora e acabarão por ser substituídas por outras compradas.

 

História dos amola-tesouras

 

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.