Já provou sopa de labaças?Uma erva desconsiderada mas com bastantes benefícios!

As labaças, Rumex crispus L., pertencem á família Polygonaceae. Existem mais de 200 espécies do género Rumex: Rumex obtusifolius de folha mais larga, Rumex acetosa também conhecida por erva azeda ou espinafre limão, etc.

As labaças são também popularmente conhecidas como catacuzes, ruibarbo selvagem ou paciência aquática.

Esta planta vivaz de aroma acre e sabor amargo é nativa da Europa e África. Cresce espontâneamente um pouco por todo o lado. Facilmente são encontradas em lameiros, terrenos baldios, beiras de estradas, searas, tornando-se muitas vezes invasora e difícil de erradicar devido às suas raízes profundas.

As labaças crescem normalmente junto a urtigas e são um bom antídoto para as picadas das mesmas quando esfregada na pele.

Muitos consideram-na uma erva daninha desconhecendo que esta é comestível e que possui inúmeros benefícios para a saúde.

As labaças são especialmente apreciadas no Alentejo, onde tradicionalmente são usadas em variadas receitas. Devem colher-se apenas as folhas jovens que estão junto ao solo.

A melhor época para a apanha é durante o Inverno e a Primavera pois, chegando o tempo quente, as folhas começam a ficar demasiado amargas e fibrosas.

 

Já provou sopa de labaças?Uma erva desconsiderada mas com bastantes benefícios!

 

Benefícios das labaças

  • ricas em ferro, fósforo e cálcio
  • ricas em vitamina C
  • ricas em taninos,  antraquinonas, flavonóides (quercetina) e ácido oxálico
  • cicatrizante
  • digestiva
  • suavizante
  • ligeiramente diurética
  • depurativa
  • desintoxica o organismo
  • prisão de ventre
  • problemas de digestão
  • problemas de fígado
  • acne
  • eczemas
  • psoríase
  • erupções cutâneas
  • artrite
  • diarreia
  • inflamações das vias respiratórias
  • combatem a anemia
  • intolerância a gorduras

Nos dias quentes pode colocar uma folha de labaça nos sapatos para manter os pés frescos.

Em uso externo as folhas são úteis para tratar picadas de insectos, queimaduras solares e outras, com uma acção refrescante e cicatrizante.

 

Contra-indicações:

  • Pessoas que sofrem de litíase biliar ou renal;
  • Mulheres grávidas não devem consumir esta planta nos três primeiros meses da gestação.

 

Sopa de labaças

A sopa de labaças com grão era um prato comum na dieta dos árabes. Estes acreditavam que as labaças tinham um efeito calmante para o estômago.

No Alentejo é ainda hoje muito comum a sopa de labaças com feijão.

 

Ingredientes

  • 1 molho pequeno de folhas de labaças
  • 1 frasco de feijão manteiga cozido de 410 gramas (ou cozer à parte o feijão)
  • 1 cebola média picada
  • 1 cenoura cortada aos quadradinhos
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 folha de louro
  • 1 raminho de poejo
  • sal q.b.
  • azeite qb
  • água q.b.

 

Já provou sopa de labaças?Uma erva desconsiderada mas com bastantes benefícios!

 

Comece por escaldar as folhas de labaças – para não ficarem amargas.

Numa panela refogue a cebola com o azeite e o alho. Quando a cebola alourar junte o feijão, a cenoura e o louro. Mexa bem e acrescente a água.

Deixe cozinhar durante 10 minutos e acrescente as folhas das labaças.

Salgue o caldo a gosto e deixe cozer em lume brando durante 10 a 15 minutos. Por fim, tape a panela e desligue o lume.

Esta sopa pode ser servida com fatias de pão duro alentejano. (opcional)

A sopa está pronta a servir!

 

Se gostou desta receita feita com ervas do seu jadim, leia também:

Sopa de urtigas

Tem esta planta no seu jardim? Sabia que é comestível?

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.