Figos - Propriedades e indicações terapêuticas

As figueiras pertencem ao género Ficus, um dos maiores do reino vegetal, e à família Moraceae.

.Estas árvores são tipicamente mediterrânicas. Trata-se de uma espécie subespontânea em todo o sul da Europa.

Existem cerca de 755 espécies de figueiras espalhadas pelo mundo sendo mais comum encontrá-las em regiões de clima tropical, subtropical e onde haja presença de água.

O crescimento das figueiras é de tal forma acentuado e enérgico que não é indicado plantá-las perto de habitações. As suas raízes são capazes de deformar paredes.

 

Estas árvores fornecem alimento a aves, morcegos, símios e outros animais dispersores de sementes. Os seus frutos caídos também servem de alimento a vários animais como insectos e peixes.

É difícil determinar a origem da figueira, dado ser cultivada desde sempre e por esta crescer com facilidade no estado selvagem.

Os maias e os aztecas usavam a casca da figueira para produzir o papel utilizado nos seus livros sagrados.

Os figos foram introduzidos na Grécia na época pós-homérica. Diz-se que as passagens da Odisseia em que esta foi mencionada tenham sido adicionadas mais tarde. A sua primeira e segura menção foi dada por Arquíloco de Paros em 700a.C.
Os gregos acreditavam que os figos eram de origem divina. Na mitologia Deméter deixou crescer figos para agradecer a Phytalos a sua hospitalidade.
Os figos tornaram-se de tal foma importantes na vida dos gregos que diz-se ter sido publicado um decreto de lei a proibir a sua exportação de Atenas. Mas haviam sempre comerciantes e contrabandistas do mercado negro que os continuavam a comercializar ilegalmente. Estes eram chamados de sicofantes.

Diz-se que Platão apreciava muito estes frutos.

Já no Egipto, os figos tinham uma componente medicinal – eram usados para curar feridas. Os egípcios chamavam o figo de “teb” e a bíblia denominou-o de “teenah” – Adão veste-se com folhas de figueira ao notar que está nú.

 

Os egípcios e os figos

 

Os egípcios também usavam os figos para engordar os gansos para a produção de foie gras (fígado de ganso gordo) e na preparação de pães artísticos misturados na massa.

Até na história de Romulo e Remo os figos têm o seu protagonismo – os dois irmão gémeos foram amamentados pela loba debaixo de uma figueira.

Os Judeus também consideravam os figos frutos sagrados. Estes fazem parte dos 7 alimentos que crescem na Terra Prometida (cevada, trigo, azeitona, uva, figo, romã e tâmara)

 

Para os budistas, a espécie Ficus religiosa é venerada, pois debaixo de uma destas Buddha alcançou a sua revelação.

Arqueólogos israelitas descobriram que as figueiras já eram cultivadas na Cisjordânia há 11400 anos e que desde o período neolítico os figos eram um alimento imprescindível da alimentação de variadas civilizações. Os figos secos eram conservados e armazenados para serem consumidos em épocas adversas como invernos rigorosos.

 

Compota de figo

 

Na culinária, os figos são muito utilizados na confecção de doces, compotas e licores.

 

Leia também: Compota de figo com maçã e especiarias

 

Benefícios dos figos

 

Propriedades e Indicações Terapêuticas:

  • folhas – possem propriedades anti-diabéticas
  • potássio, magnésio, cálcio e fósforo
  • energéticos
  • antioxidante
  • laxante – regula o transito intestinal
  • asma
  • tosse
  • dores de garganta
  • colesterol
  • prisão de ventre
  • calos – aplicar seiva de figos verdes, pois ajuda a suavizar
  • problemas cardiovasculares
  • stress
  • fraqueza sexual
  • hipertensão arterial
  • combate a obesidade
  • indicado para diabéticos
  • fortalece os ossos
  • ajuda a previnir a degeneração macular

 

Contra – Indicações:

  • figos secos são ricos em açúcar e podem causar cáries;
  • comer figos em excesso pode causar diarréias

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.

  • Lúcia Helena

    Adoro receber a senhora do monte, são textos ricos e fácil compreensão. Grande abraço. Lúcia

  • Alberto Reis

    Muito explivativo e de melhor importância.Gosto muito.Bem haja.

    • A Senhora do Monte

      Obrigado por nos acompanhar Alberto :)

  • Pingback: Compota de figo com maçã e especiarias()