História do castelo de Lindoso

Este castelo situa-se na freguesia e lugar de Lindoso no concelho de Ponte da Barca, distrito de Viana do Castelo.

 

Foi erguido na Idade Média, nos princípios do séc.XIII, com a função de vigia defesa e marco de soberania da fronteira. Apesar de não ter estado envolvido em grandes batalhas ou episódios de história militar, é considerado um dos mais importantes monumentos militares portugueses. Este teve particular importância no período de conflitos militares com Castela.

No séc. XVII, altura das Guerras da Restauração acabou por ter uma grande importância devido à sua localização fronteiriça.

Tendo estado sempre relacionado com a defesa da portela da Serra Amarela e o Vale de Cabril, este castelo já aparece referido nas Inquirições de 1258. Mandado restaurar por D. Dinis mais tarde, em 1662, foi ocupado pelos Espanhóis (nas Guerras da Restauração) tendo sido ampliado com uma muralha do tipo Vauban, em forma de estrela pentagonal. O castelo acabou por ser recuperado, pelos portugueses, 2 anos mais tarde. Este monumento de defesa nacional permaneceu ocupado com guarnições militares ao longo do séc.XVIII, até que em 1895 acabou por ser desactivado.

 

Castelo de Lindoso

 

Existe ainda, junto ao castelo, uma eira composta por 50 espigueiros dos séc.XVII e XVIII. Este aglomerado é único no país e tem uma beleza fora do comum. Cada exemplar apoia-se em vários pilares curtos, assentes na rocha  com mós ou mesas. Sobre estes, repousa o espigueiro com a cobertura de duas lajes de granito unidas, ornamentado com cruzes protectoras. Estas cruzes, para além do efeito decorativo serviam também para arejar os espigueiros.

 

Casa do Assento:

 

A Casa do Assento localiza-se junto à entrada do Castelo de Lindoso e pensa-se que a sua construção se deu no séc. XIII. Sendo uma das casas mais antigas da aldeia, reza a lenda que era nesta casa que se cozia o pão para o Castelo durante os seus tempos áureos. Diz-se, inclusivamente, que a casa e o castelo se encontravam ligados por um túnel.  Hoje em dia ainda se pode ver, na casa, grandes extensões de pedra queimada do antigo forno, o que indica que aqui se cozeram grandes quantidades de pão.

 

Casa do Assento - Lindoso

 

Lenda do Castelo de Lindoso:

Reza a lenda que o Rei D. Diniz, estava em viagem pelo norte do país, e achou que Lindoso seria um local proprício à construção de um castelo para a defesa da fronteira. Esta era frequentemente devassada pelo castelhanos. Quando as obras do castelo terminaram, o Rei ficou profundamente impressionado com tamanha beleza. Não conseguindo conter a emoção, solta um grito apelidando-o de Lindoso:  “Tão alegre e primoroso o achou, que logo Lindoso se chamou”.

 

Serra amarela

 

 “A Serra Amarela é um dos ermos mais perfeitos de Portugal. Situada entre o Gerês e o Lindoso, as suas dobras são largas, fundas e solenes. Sem capelas e sem romarias, cruzam-na os lobos, os javalis e as corças. A praga dos pinheiros oficiais ainda lá não chegou. De maneira que mora nela o sopro claro das livres asas e o riso aberto dos grandes sóis. Não há estradas, senão as da raposa matreira, nem pousadas, senão as cabanas dos pastores. É Portugal nuclear, a Ibéria na sua pureza essencial e granítica. Um pé de azevinho aqui, urzes milenárias acolá, um carvalho numa garganta, nenhum coração de entre o Douro e Minho pode deixar de se sentir aquecido e reconfortado em semelhante chão.”

Miguel Torga, 1945

Save

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.