Camarinha - uma baga que poucos conhecem

Já ouviu falar das camarinhas? Chegámos à conclusão que pouca gente conhece a existência deste arbusto de fruto comestível.

A camarinha ou camarinheira é um arbusto pertencente à família Ericaceae, cujo nome científico é Corema album. O seu fruto é internacionalmente conhecido como Portuguese Crowberry.

Podemos encontrar este fruto nas dunas da costa atlântica da Península Ibérica, sendo quase inexistente noutras partes do mundo.

Camarinheira

Esta espécie é muito característica da mata de Leiria e por toda a costa alentejana, apesar de ser também encontrada em vários sistemas dunares na costa portuguesa e também nos Açores, nas ilhas de São Miguel, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial.

Infelizmente a camarinheira encontra-se em perigo de extinção sendo por isso considerada uma espécie protegida.

Camarinhas

Trata-se de um arbusto bastante parecido com o alecrim. Na altura da frutificação (julho/setembro) apresenta pequenas bagas brancas (pérolas ibéricas). Estas possuem um sabor bastante doce e a sua rama liberta um aroma semelhante ao mel.

Antigamente as camarinhas eram transportadas em cestas de verga e vendidas às “medidas”. Estas eram despejadas num cartuxo de papel sendo vendidas como tremoços e pevides. Eram vendidas nas ruas bem como até à entrada do cinema da Figueira da Foz.

Propriedades das camarinhas

É comum ver vendedoras ambulantes, junto à praia da Nazaré e à praia da Vieira, com cestos cheios destas pequenas bagas – já consideradas uma atracção turística.

Estas pérolas ibéricas podem ser consumidas frescas, em sobremesas, refrescos ou saladas ou ainda como compota ou geléia.

Geléia de camarinhas

Os benefícios das camarinhas encontram-se muito pouco estudados e são escassas as referências a esta planta.

Sabe-se, pelo menos que possui propriedades remineralizantes, febrífugas, anti-cancerígenas, vermífugas e anti-oxidantes. Devido a estas propriedades as camarinhas combatem o envelhecimento precoce, são benéficas para a memória e previnem o aparecimento de arteriosclerose.

Se tiver a sorte de encontrar alguém a vender este fruto não deixe de o provar pois ficará deliciado!

Leia também:

Ice tea de camarinhas com hortelã

Refresco de camarinhas

Lenda das camarinhas

Dizem que Santa Isabel
Rainha de Portugal
Montando branco corcel
Percorria o seu pinhal!

-“Ai do meu Esposo! Dizei!
Dizei-me, robles reais!
Meu Dinis! Senhor meu Rei!
Em que braços suspirais?!…

Os robles silenciosos
Do vasto Pinhal do Rei
Responderam receosos
– não sei!…

E o pranto da Rainha
Nas suas faces rolava,
Regando a erva daninha
No pobre chão que pisava!

– “ ó meu Pinhal sonhador
Que o meu Rei semeou!
Dizei-me do meu Amor
E se por aqui passou…”

Os robles silenciosos
Do vasto Pinhal do Rei
Responderam receosos:
– Não sei !…

Mas cristalizou-se o pranto
Em muitas bagas branquinhas
E transformou-se num manto
De brilhantes camarinhas!…

Eis que repara a Rainha
Numa casa iluminada…
– “ Quem vela nesta casinha
Numa hora adiantada ?!…”

Os robles silenciosos
Tão tristes  que nem eu sei,
Responderam receosos:
– O Rei!…

Cantiga Popular

Fostes ao Senhor da Pedra
Minha rica Mariquinhas…
Nem por isso me trouxestes
Um ramo de camarinhas.

Hei-de ir ao Senhor da Pedra
Para colher as camarinhas…
Mas, meu amor, é de lá
Já mas tinha apanhadinhas.

Fui ao mar às camarinhas
E cacei um camarão…

(coro)
Ai sim, camarinha, ai sim!
Ai sim, camarinha, ai não!
Ai sim, camarinha, ai sim!
Camarinha, ai sim! Camarinha, ai não!

(solo)
Logo na Primeira onda
Veio o meu amor à mão….

Imagens: www.tentacoesobreamesa.blogspot.pt

Save

Save

Save

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.