Blog

Provérbios populares relacionados com o mês de Dezembro

em Saberes
Provérbios populares relacionados com o mês de Dezembro

Os provérbios são resquícios de sabedoria popular que passam ao longo do tempo, de boca em boca e de geração em geração.

Estes ditos populares, que podem ser frases ou expressões, são extremamente ricos em conhecimentos tradicionais e populares sobre o quotidiano, vida no campo, etc. Muitos deles foram criados pelos nossos antepassados mas são utilizados até aos dias de hoje.

E ao contrário de muitas palavras que estão a cair no esquecimento e a desaparecer, os provérbios permanecem mais vivos que nunca!

Em Janeiro, gear.
Em Fevereiro, chover.
Em Março, encanar.
Em Abril, espigar.
Em Maio, engrãodecer.
Em Junho, ceifar.
Em Julho, debulhar.
Em Agosto, engavelar.
Em Setembro, vindimar.
Em Outubro, revolver.
Em Novembro, semear.
Em Dezembro, nascer.
Também nele nasceu Deus
Quando nos veio salvar
.”

Provérbios de Dezembro

“Dezembro quer lenha na lareira e vinho a andar na cafeteira.”

“Dezembro frio, calor ao Estio.”

“Dezembro molhado, Janeiro geado.”

“No tal no lar e Páscoa em casa.”

“Natal ao soalhal e Páscoa à lareira, fazem um ano de primeira.”

“Natal à Sexta-feira, onde puderes semeia.”

“Ande o frio por onde andar, pelo Natal cá vem parar.”

“De Santos ao Natal, ou bom chover ou bem nevar.”

“Assim como vires o tempo de Santa Luzia ao Natal, assim estará o ano, mês a mês até ao final.”

“De Santa Catarina ao Natal, mês igual.”

“Dezembro diz: olha que o governo está na boca do saco; até Janeiro qualquer burro passa o regueiro, mas para a frente tem de ser forte e valente; se não tens governo depois arreganhas o dente.”

“Caindo o Natal à segunda-feira, o lavrador tem de alargar a eira. – Conceição molhada, festa seca.”

“De Santos ao Natal perde a padeira o cabedal.”

“Chuva em Novembro, Natal em Dezembro.”

“De Santos a Santo André, um mês é; de Santo André ao Natal, três semanas.”

“De Santa Luzia ao Natal, ou bom chover ou bom nevar.”

“De Outubro a Dezembro não busques o pão no mar.”

“De Santa Catarina ao Natal, bom chover e melhor nevar.”

“Depois de o Menino nascer, é tudo a crescer.”

“Dezembro com Junho ao desafio, traz Janeiro frio.”

“Dezembro nasceu Deus para nos salvar”

“Dia de São Silvestre, nem no alho nem na reste.”

“Dezembro frio, calor no estio.”

“Do Natal a São João, seis meses são.”

“Dia de São Silvestre, quem tem carne que lhe preste.”

“Dos Santos ao Advento, nem muita chuva nem muito vento.”

“Dezembro molhado, Janeiro geado.”

“Do Natal a Santa Luzia cresce um palmo em cada dia.”

“Dos Santos ao Natal vai um salto de pardal.”

“Dezembro ou seca as fontes ou levanta as pontes.”

“Em Dezembro a uma lebre galgos cento”

“Dos Santos ao Natal bico de pardal.”

“Dos Santos ao Natal é Inverno natural.”

“Em Dezembro descansar para em Janeiro trabalhar.”

“Dezembro quer lenha no lar e pichel a andar.”

“Em caindo o Natal à segunda-feira, o lavrador tem de alargar a eira.”

“Em Dezembro chuva, em Agosto uva.”

“Em Dezembro corta lenha e dorme.”

“Dia de São Silvestre, não comas bacalhau que é peste.”

“Em Dezembro ande o frio por onde andar, pelo Natal há-de chegar.”

“Dos Santos ao Natal é bom chover e melhor nevar.”

“Em Dezembro quem vai ao São Silvestre, vai um ano, vem no outro e não se despe.”

“Em Dezembro treme o frio em cada membro.”

“Em Dezembro vinho, azeite e amigo sempre do mais antigo.”

“Em Dezembro, a uma lebre, galgos cento.”

“Em Dezembro, lenha no lar e pichel a andar.”

“Em dia de festa e Natal, atesta a barriga, não faz mal.”

“Em dia de Santa Luzia cresce a noite e minga o dia.”

“Em dia de Santa Luzia onde o vento fica de lá aporfia.”

“Em dia de São Tomé pergunta ao porco que tempo é.”

“Em dia de São Tomé, favas à terra.”

“Em dia de São Tomé, vão os porcos à pilé.”

“Em Natal chuvoso até o diligente é preguiçoso.”

“Em Outubro, Novembro e Dezembro, abre o teu celeiro e o teu mealheiro.”

“Em Outubro, Novembro e Dezembro, quem come do mar, tem de jejuar.”

“Entrudo borralheiro. Natal em casa, Páscoa na praça.”

“Festa do Natal no lar, da Páscoa na Praça e do Espírito Santo no campo.”

“Galinhas de São João, pelo Natal ovos dão.”

“Laranja antes do Natal livra o catarral.”

Na mesa de Natal, o pão é o principal.”

“Não há ano, afinal, que não tenha o seu Natal.”

“Não há em Dezembro valente que não trema.”

“Não peças água a Luzia e a Simão, nem sol a António e a João, que eles tudo isso te darão.”

“Natal a assoalhar e Páscoa ao luar.”

“Natal à segunda-feira, lavrador alarga a eira.”

“Natal à sexta-feira, guarda o arado e vende os bois.”

“Natal ao sol, Páscoa ao fogo, fazem o ano formoso.”

“Natal de rico é bem sortido.”

“Natal em casa, junto à brasa.”

Se souberem outros provérbios relacionados com o mês de Outubro e que não estejam aqui mencionados, pedimos que nos enviem uma mensagem através do Facebook ou através do Instagram para podermos acrescentar o vosso contributo ao nosso artigo.

Vamos todos contribuir para que as tradições portuguesas se mantenham vivas!

Se gostaram deste artigo leiam também:

O que devo semear e plantar em Dezembro

Calendário de semeadura e plantio – Dezembro

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *