História do Pão de Ló

O pão de ló é um bolo à base de ovos, farinha de trigo e açúcar.

 

Em Portugal, existem quatro variedades regionais que se tornaram símbolos dessas regiões:

 

Alfeizerão

Esta terra é bastante conhecida pelo seu famoso pão de ló. O jornal “Ecos do Alcoa”, em 1932 dava-lhe o nome de “Pão de Ló da Tia Amália”.

 

Pão de ló de Alfeizeirão

 

Diz-se que a receita do pão de ló pertencia às freiras do Convento de Coz e que tinha sido transmitido a senhoras residentes na terra que o confeccionavam em dias de festa. Certo dia o Rei D. Carlos fez uma visita a Alfeizerão sendo presenteado com esta iguaria. Mas tamanho era o desejo de o bem servir que a cozedura do pão de ló ficou incompleta. Ao contrário do esperado, o resultado foi um enorme sucesso que mereceu a preferência do Rei e o aplauso dos presentes. Foi assim descoberto o Pão de Ló de Alfeizerão.

 

Arouca

O pão de ló de Arouca, mais precisamente da freguesia de Burgo tem sido vendido desde 1840.

Pensa-se que este, possivelmente surgiu como um doce conventual tendo origem no Convento de Arouca. Mas descendentes da família Teixeira Pinto, que em 1840 começaram a comercializar pão de ló, afirmam que esta receita nada tem de raíz conventual.

 

Pão de ló de Arouca

 

Afirmam ser os “inventores” de tal receita e que nos meados do séc. XIX tinham por hábito fazer este doce para consumo próprio e para os seus amigos. As pessoas que tiveram a oportunidade de provar começaram a pedir para confeccionarem este doce para dar a outras pessoas como forma de pagamento de favores, especialmente como oferta para o médico de família.

É facilmente distinguido de outros pães de ló pois este é preparado em fôrma rectangular, comercializado às fatias e envolvido em calda quente de açúcar.

 

Ovar

O pão de ló típico de Ovar tem a forma de uma brôa e é feito de uma massa leve e fofa.
Na parte superior a côdea é muito fina e húmida com uma cor acastanhada (o “ló”), À sua volta tem uma orla de massa cremosa com a cor amarelo-ovo. Tradicionalmente é envolvido em papel de linho branco.

 

Pão de ló de Ovar

 

Pouco se conhece sobre as suas origens, sabendo-se somente que tem origem conventual. Há quem diga que uma freira tenha divulgado a receita a algum familiar ou amigo residente em Ovar.

No séc.XIX o pão de ló era confeccionado por várias famílias de Ovar, destacam-se a: Arrota, a Guedes, a Presódias e a Virgílio.

 

Margaride

A freguesia de Margaride pertence ao distrito do Porto. A povoação de Margaride foi elevada à categoria de vila de Felgueiras, por carta de D, Maria II, datada de Março de 1846.

O fabrico do pão de ló ou pão leve, em Margaride data de há mais de dois séculos proveniente de uma mulher chamada Clara Maria. Quando esta morreu a senhora que vivia consigo, Antónia Filix cujo sobrenome desconhece-se continuou a fabricar pão de ló, tendo em sua companhia Leonor Rosa que tinha ficado ao encargo e cuidado da sua patroa Clara Maria. Leonor aqui viveu até aos 16 anos, tendo sido raptada e mais tarde veio a casar-se com o seu raptor.

 

Pão de ló de Margaride

 

Nessa altura foi para Lixa fabricar pão de ló.

A primeira fábrica de pão de ló, ou pão leve, de Leonor Rosa, foi montada numa casa, situada no lugar do Tanque, na povoação de Margaride, pois então ainda não tinha a categoria de vila, casa essa que foi demolida, onde está hoje uma casa grande de dois andares.

Mais tarde Leonor veio a casar pela segunda vez mudando-se para a residência do segundo marido, onde actualmente está instalada a fábrica de pão de ló de Margaride.

Anos mais tarde, Leonor Rosa ficou viúva e resolve casar-se com o marido da sua criada.

Leonor Rosa da Silva felece a 9 de Julho de 1898, sem descendentes e instituiu como herdeiro o seu terceiro marido – Joaquim Luíz da Silva, por testamento datado de 12 de Julho de 1877. Joaquim Silva ao falecer em 1909 deixa como seu herdeiro o seu irmão José Maria da Silva falecido em 1940. José Maria Lickfold da Silva herda, então, de seu pai a fábrica do Pão de Ló de Margaride – Leonor Rosa da Silva, Sucr.

Leonor Rosa durante mais de cinquenta anos de trabalho consegue tornar conhecido, em Portugal e no Brasil, o seu pão de ló de Margaride cujo nome é, hoje, bem persistentemente cobiçado.

 

Figueiró dos Vinhos

Figueiró dos Vinhos é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Leiria.

Actualmente a Confeitaria Santa Luzia é gerida por Maria Manuela Cunha de Carvalho, que assim dá continuidade a um empreendimento com cerca de 119 anos.

 

Pão de ló de Figueiró dos Vinhos

 

Fundada por Madalena Cunha, tia da actual proprietária, e António de Vasconcelos, autor da ideia de comercialização de especialidades conventuais figueiroenses, a então denominada Fábrica de St.º António dos Milagres de Figueiró dos Vinhos destacou-se na produção de pão-de-ló sob a gestão de Ângelo David e Silva, até ter encerrado em 1965.

 

Pão de ló de Figueiró dos Vinhos

 

Receita de Pão de Ló

Ingredientes

  • 7 ovos
  • 250g de açúcar
  • 150g de farinha
  • raspa de laranja
  • sumo de uma laranja

 

Receita de pão de ló caseiro

 

Deverá começar por ligar o forno para que este esteja já quente quando lá puser o pão de ló.

Separe as gemas das claras. Comece por bater as claras em castelo.

À parte bata as gemas juntamente com o açúcar. Bata muito bem até que fique um creme esbranquiçado.

 

 

Pao de ló

 

Depois junte, alternadamente, a esta mistura um pouco das claras, a farinha, o sumo de laranja e a raspa.
Bata muito bem com a batedeira, assim o bolo ficará bem fofo e macio.

Junte o resto das claras em castelo, mas não bata com a batedeira, somente as envolva no creme com uma espátula.

Por fim, unte e polvilhe a forma com farinha e deixe verter a massa. Leve ao forno a 180ºC, durante 40 a 50 minutos.

 

Receita de pão de ló

 

Save

Save

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.