Espinafre selvagem - Propriedades e indicações terapêuticas

O espinafre selvagem pertence à espécie Chenopodium_album é uma planta anual que pertence à família Chenopodiaceae.

Também conhecida pelos nomes: quenopódio e falsa erva de Santa Maria.

Esta encontra-se por todo o território português nomeadamente nos Açores.

Facilmente encontrada nas hortas mas os agricultores acabam por arrancá-la sem lhe darem grande importância.

Espinafre selvagem - Propriedades e indicações terapêuticas

Erradamente considerada uma erva daninha por crescer com muita rapidez e facilidade sem necessitar de condições muito específicas.

No norte da Índia, o espinafre selvagem é extensamente cultivado e consumido.

O seu valor nutricional é  superior ao dos espinafres comuns e o sabor é semelhante. Podem ser consumidos em saladas (folhas frescas e jovens), salteados ou mesmo em sopas.

Na medicina popular, as folhas dos espinafres selvagens picam-se ajudando no tratamento de dores reumáticas e problemas de pele como picadas de insectos ou queimaduras solares.

 

Espinafre selvagem - Propriedades e indicações terapêuticas

 

Propriedades e indicações terapêuticas do espinafre selvagem

  • anti-inflamatória
  • anti-espasmódica
  • hipotensora da tensão arterial
  • dores de estômago
  • diarréia
  • reumático

 

Uso Interno:

  • Falta de apetite – beber a infusão das folhas
  • Dores de estômago – comer folhas cruas
  • Diarréia – fazer uma infusão da planta inteira (sem a raíz)

Uso Externo:

  • Cataplasma das folhas picadas – indicado no tratamento de picadas de insectos, queimaduras solares, inflamações ou dores reumáticas

 

Espinafre selvagem - Propriedades e indicações terapêuticas

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.