Blog

Lembram-se do trevo-azedo? Uma iguaria dos tempos de infância!

em Jardim/Horta, Medicina Natural
Lembram-se do trevo-azedo? Uma iguaria dos tempos de infância!

Para muitos é considerada uma erva daninha e uma invasora, para outros é uma pequena iguaria. Quem se lembra de “comer” estas plantas quando era criança?

O trevo-azedo também é popularmente conhecido por vinagreiras, erva-canária, azeda, erva-pata, erva-mijona, santas-noites, azedinha-amarela, erva-azeda-amarela, consoante a zona do país. É uma espécie bastante persistente que se espalha através dos seus bolbos.

Esta planta pertence à espécie Oxalis pes-caprae.

Trata-se de uma erva perene, nativa da África do Sul e encontra-se praticamente por toda a Europa, com particular incidência no Mediterrâneo. Encontram-se facilmente tanto em solos ácidos como alcalinos, em bermas, relvados húmidos, arribas costeiras, etc.

O trevo-azedo é considerado uma planta com flores típicas de Inverno que florescem desde Dezembro / Janeiro até Abril.

Tanto as flores, as folhas, os caules como bulbos são comestíveis. As suas flores amarelas podem ser utilizadas em saladas. Possuem propriedades anti-inflamatórias e diuréticas.

Leiam também:

Nós só costumamos utilizar as flores e as folhas que dão um pequeno aroma alimonado a qualquer salada.

Observação: Tenham em atenção para não confundirem com a espécie Oxalis corniculata – esta última não é comestível. A Oxalis corniculata floresce a partir de Abril e estende-se até Setembro.

Lembram-se do trevo-azedo? Uma iguaria dos tempos de infância!

Trevo-azedo

História

Antigamente eram utilizadas como tratamento de constipações, febres, inflamação da bexiga e até como laxante suave para bebés e crianças.

Durante a época da II Guerra Mundial, em que havia uma escassez de alimentos, as populações de várias zonas do nosso país (por exemplo: Cascais, Mafra, Torres Vedras, etc) e da Europa assavam os tubérculos desta planta assados em fogueiras.

Leiam também:

Aplicações

O ácido das folhas e das flores é utilizado como mordente,quando se faz tingimentos com plantas tintureiras. Já as raízes fornecem um pigmento tintureiro arosado.

Tratamentos naturais

Uso externo

  • As folhas esmagadas devem ser colocadas sobre queimaduras e pequenas feridas para ajudar na sua cicatrização.

Contra-indicações

Tal como o nome Oxalis indica, é uma planta rica em ácido oxálico (tal como os espinafre, folhas de beterraba, etc…). e esta substância não deve ser consumida em grandes quantidades. Por isso, devido à alta percentagem de oxalatos presente na sua composição, esta planta não deve ser consumida por pessoas com problemas renais ou que sofram de reumático.

Lembram-se do trevo-azedo? Uma iguaria dos tempos de infância!

One Comment
  1. Dos tempos de criança e dos tempos de toda uma vida, que aos 50 e tal continuo a colhê-los para consumo imediato em qualquer caminhada em que os encontre.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *