Cardos

Sabia que os cardos são comestíveis? Já provou esta sopa tradicional da zona do Alentejo?

O cardo é o nome comum de diversas espécies de plantas que pertencem ao género Cynara e à família Asteraceae, a mesma da alface, chicória, endívias, etc.

O cardo é uma hortaliça originária dos países da bacia mediterrânea, onde continua centrado seu maior consumo. No entanto, é muito apreciado nos países germânicos, onde é considerado um alimento exótico.

Os cardos costumam crescer em terrenos barrentos e locais rochosos e podem ser encontrados na Península Ibérica, na Madeira, norte de África, zonas meridionais e ocidentais do Mediterrâneo, etc.

Actualmente, Espanha é um dos países de maior produção desta planta.

De todas as espécies do género Cynara, apenas C. cardunculus spp. flavescens (cardo) é referida como sendo usada no fabrico de queijo.

As flores são colhidas durante os meses de Junho e Julho, sendo armazenadas em locais secos de forma a serem usadas, no Outono e no Inverno, na coagulação do leite.

Embora actualmente não é um dos alimentos de origem vegetal mais consumidos no nosso país, antes eram em gerações passadas, quando se os colhia nos campos para o auto-consumo.

Se gosta de verduras selvagens comestíveis, leia também: Plantas selvagens que podemos comer

 

Os cardos possuem propriedades terapêuticas benéficas para a nossa saúde:

  • indicados para pessoas que sofram de diabetes – cardo é um dos poucos vegetais que contém um hidrato de carbono chamado inulina, este é constituído por moléculas de frutose (substância relativamente bem tolerada por diabéticos);
  • protector hepático – devido à sua composição, o cardo é utilizado no tratamento de doenças hepáticas crónicas e degenerativas, tais como a hepatite e a cirrose;
  • protector da vesícula biliar – o cardo estimula a produção de sucos biliares, facilitando a digestão dos alimentos e favorecendo uma maior excreção de colesterol dietético. Além de drenar a vesícula evita a produção de pedras biliares.

 

Benefícios dos cardos

O cardo contém quantidades significativas de vitaminas e minerais e certos carboidratos de importância nutricional.

O seu teor de água é cerca de 94% do seu peso total. Já a gordura é de 0,1% e as proteínas de 0,7% apenas.

Os carboidratos podem chegar a apresentar-se em um 3% da composição total do cardo, entre os quais destacam-se a inulina.

Ao nível de vitaminas contêm uma quantidade significativa de todas, excepto a vitamina B12 e a vitamina E. Destacam-se os folatos que são encontrados em maior proporção, seguido por vitamina C, niacina, vitamina B2 e B6. Além disso, encontraremos também em menor grau de vitamina A e B1.

O seu conteúdo mineral de destaque de potássio por ser encontrado em maior proporção, seguido pelo magnésio, cálcio, ferro e fósforo. Em menor grau, mas não menos importante, contêm quantidades significativas de sódio e zinco.

 

 

Sopa de feijão com cardos

Ingredientes

  • 0,5 kg de feijão encarnado
  • 1 molho de cardos
  • 1 cebola picada
  • 6 dentes de alho picados
  • 1 molho de coentros picados
  • 1 pequeno molho de poejo picados
  • 1 dl de azeite
  • 1 folha de louro
  • sal q.b.
  • pimenta q.b.
  • colorau q.b.

 

Sopa alentejana de feijão com cardos

 

Comece por deixar o feijão a demolhar durante a noite. No dia seguinte, coza o feijão em bastante água durante cerca 30 a 45 minutos.

À parte, faça um refogado com o azeite, cebola, alhos, o colorau, o louro e metade da quantidade dos coentros e do poejo.

Acrescente os cardos depois de arranjados. (use luvas para limpar as folhas, retirar as partes espinhosas e aproveite somente o talo branco).

Junte a água da cozedura dos feijões e tempere com o sal e a pimenta.

A seguir, junte os feijões e deixe a cozer em lume brando até os cardos ficarem macios.

Sirva com fatias de pão alentejano ou com pedacinhos de pão frito.

 

Se gostou desta receita, leia também:

Sopa de urtigas

Sopa de beldroegas à moda alentejana

Sopa de labaças

Receita e imagem: Arca dos Sabores

 

Cardo

 

Escrito por A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.